sexta-feira, 29 de junho de 2012

Euro 2012: dia 21.



Tendo em conta o padrão iniciado em 1982, continuado em 2006 e prosseguido agora mesmo, os italianos bem podem rezar a todos os santinhos para que nas vésperas de uma grande competição da bola as escandaleiras se sucedam, com apostas ilegais, tráfico de influências, padres mafiosos, padres pedófilos, apostas ilegais e Cosa Nostra e apostas ilegais. E se a isto se juntar uma fase de preparação medíocre, é caso para se apostar bom dinheirinho nestes italianos, e se for ilegalmente, melhor. Grande exibição destes sujeitos, sobretudo na segunda parte, em que desconcertou a inteligência com que fabricavam "tranfers" (no meu tempo eram "contra-ataques") no meio campo teutónico; mais desconcertante só a ligeireza com que eram desperdiçados. De Rossi, Montolivo e, peço desculpa, vou-me ajoelhar, Pirlo são o melhor meio campo deste Euro, onde até um bom jogador como o Marchisio parece um Meireles, tal a exigência da comparação. Quanto aos alemães, não se preocupem: quem se dá ao luxo de deixar Muller, Gotze, Reus e Kroos no banco só pode aspirar a nos próximos dez anos estar sempre, no mínimo, nas meias finais de uma competição do couro.