quinta-feira, 28 de junho de 2012

Euro 2012: dia 20.


E pronto, o Euro 2012 acabou. As mulheres podem voltar para os tachos e panelas e aquelas que nos estádios, exibindo as carnes pecadoras, não conseguiram vantajosos contractos para publicidade/brocharia, devem regressar aos classificados do Correio da Manhã. Uma calamidade proporcionada por dois penaltys falhados, pela magnífica capacidade decisória do Meireles, pelo remate para Júpiter do "melhor jogador do mundo", pelo "azar" (esse vendilhão que não larga os lusitanos) e por uma exibição monstruosa de classe de Sergio deixem-me atirar para o chão Busquets, num jogo da bola em que duas equipas, desfalcadas com Almeida e Negredo, proporcionaram um interessante espectáculo de rigidez táctica, só superada no prolongamento por Pedro e Navas que finalmente deram largura ao catenaccio do século XXI da selecção espanhola. Altura de arrumar as cadeiras, limpar o chão, apanhar as beatas, despejar as mines e de estarmos mais uns meses sem ouvir relatos do Paulo Garcia.