quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

"cinema livre".







Começa com um travelling ao longo de uma limusina reluzente. As cobras e os caixões do Lang. Tão bonito. Esforço titânico para não se rebentar de riso perante o vampirinho em pose de estática fin-de-siècle. Diálogos impositivos, literários, a suspirar de "seriedade" e "tema". Miseráveis. A Binoche a dar o cu. O "silêncio individualista" da limusini perante os abafados ruídos da sociedade. Nojo. Seria uma vergonha na carreira do Ron Howard. Espero que os restantes noventa e cinco minutos não sejam tão importantes.